Menu

Saúde & Bem-Estar

Verão aumenta em 30% a incidência de pedras nos rins

pedra nos rins
(Foto: gpointstudio/Freepik)

O verão é a estação favorita do brasileiro, mas acende o alerta para a alta incidência de pedras nos rins 30% maior que em outros períodos do ano. Isso acontece, pois há o aumento da transpiração sem a hidratação adequada para supri-la. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), estima-se que 1 em cada 10 pessoas no Brasil sofra de cálculo renal. Conforme a entidade, essa condição é mais comum entre adultos jovens e mais frequente em homens. Cerca da metade destas pessoas terão um novo episódio de cálculo ao longo dos 10 anos seguintes e por isso a prevenção é muito importante.

Leia também – Dor nas costas ou dor pélvica pode ser sinal de problema renal

A litíase renal, também conhecida como cálculos ou pedras nos rins, é causada pela cristalização de sais minerais presentes na urina. Segundo Eduardo Gerber, médico urologista do Pilar Hospital, a litíase renal ocorre pela hipersaturação de minerais na urina, por um distúrbio metabólico, principalmente, na filtração. “Os cálculos podem ser formados por vários minerais. O mais comum de todos, que ocorre em 80% a 85% dos casos, são os cálculos de oxalato de cálcio, seguido por cálculos de ácido úrico, de estruvita, de cistina, entre outros. Estes são os principais”, comenta o médico.

Pacientes masculinos apresentam mais chance de ter litíase renal, que pode ocorrer em todas as etapas da vida, mas é constatada com mais frequência em adultos com idade entre 20 a 40 anos. Quanto aos fatores ou hábitos que contribuem para a incidência, Dr. Gerber informa que não há apenas uma causa, sendo uma doença de origem multifatorial. “A dieta é o fator mais importante, mas também há fatores quanto à genética, à hereditariedade, além de algum distúrbio de paratireoide e distúrbios de metabolismo de cálcio, que podem surgir e evoluir com formação de pedras dentro do sistema urinário”, explica.

Em relação à dieta, o médico alerta para a ingestão de sal, que não deve ser realizada em demasia devido ao sódio, que é um dos principais responsáveis pela formação de cálculos. O especialista comenta sobre um mito que diz que pacientes com pedras nos rins não devem ingerir cálcio, pelo fato dos cálculos serem feitos deste elemento. “Isso é um erro.  O que acontece é que o cálcio é precipitado de acordo com a presença do sódio na urina. O grande vilão da litíase é o sódio. Às vezes pode haver malefício na suspensão errônea de medicamento com cálcio, como osteoporose, por exemplo”.

Dr. Eduardo também orienta para evitar comidas enlatadas e industrializadas, além de reduzir a ingestão de carne vermelha, que é um fator formador de litíase urinária. “A proteína de carne vermelha é tóxica ao rim desde que ingerida em excesso. Não é para parar de comer carne, que tem suas benesses, mas sim variar o tipo de carne com frango, peixe, porco, e não somente carne bovina”, recomenda. Além disso, o ideal é ingerir de 2 a 3 litros de líquidos por dia”, complementa.

O diagnóstico da litíase renal é feito por meio de exames de imagem, de urina e de sangue. O médico relata que a maioria dos casos são descobertos em pacientes com crise, que chegam ao pronto socorro com muita dor, associada a náuseas, vômitos, entre outros sintomas. “O cálculo dentro do rim não dói na maioria das vezes. O que causa dor é o cálculo que desce pelo ureter, um canal que vai do rim a até a bexiga. Um cálculo nesta parte do corpo faz obstrução do fluxo urinário”, relata. “O tratamento depende da posição, formação e densidade do cálculo. Na maioria das vezes, a necessidade de tratamento é endoscópico, por endourologia, em que é realizada uma cirurgia sem corte”.

O médico lembra que o Pilar Hospital conta com serviço de emergência urológica há bastante tempo, e que recentemente a equipe foi ampliada, além de ter a infraestrutura adequada. “A gente dispõe de toda tecnologia para fazer o tratamento. O Pilar Hospital conta com toda as estruturas e inovação para fazermos o tratamento desde o cálculo na ponta da uretra até o cálculo dentro do rim. Além disso, dispomos de equipe multidisciplinar, pronta para atendimento 24 horas, com boa formação e titulação”, finaliza.

*Informações Assessoria de Imprensa

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários