Veja a variação de preços neste ano: gasolina cai; leite, comida e diesel sobem

 , de acordo com o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo 15) de agosto, indicador conhecido como prévia da inflação.

Os destaques entre as maiores baixas são energia elétrica (-20,12%), etanol (-19,20%) e gasolina (-14,91%).

O que está acontecendo? Especialistas ouvidos pelo UOL dizem que o aumento do preço do leite foi influenciado por fatores como entressafra, preço dos alimentos e da ração, custo dos fertilizantes e preço do diesel.
Os altos custos de produção também justificam o aumento do preço dos alimentos — incluindo do diesel, usado nos caminhões que fazem o transporte das frutas, e dos fertilizantes, que ficaram mais caros com a entre Rússia e Ucrânia, já que os dois países são grandes exportadores de insumos agrícolas.

Já a queda nos preços da energia, etanol e gasolina está relacionada à redução da alíquota de ICMS nestes serviços. No caso da luz elétrica, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou revisões tarifárias extraordinárias de diversas distribuidoras que operam em áreas de abrangência do índice, reduzindo as tarifas a partir de 13 de julho.

Maiores altas (janeiro a agosto)
Leite longa vida: 79,79%
Pepino: 78,61%
Melão: 64,16%
Morango: 60,49%
Cebola: 56,57%
Melancia: 50,93%
Manga: 47,88%
Óleo diesel: 37,28%
Alimento infantil: 34,49%
Feijão-carioca (rajado): 33,99%
Maiores baixas (janeiro a agosto)
Laranja-lima: -26,79%
Tomate: -20,96%
Energia elétrica residencial: -20,12%
Etanol: -19,20%
Limão: -17,98%
Carne de carneiro: -17,39%
Abacate: -16,80%
Gasolina: -14,91%
Banana-maçã: -12,59%
Pimentão: -12,08%
Preços nos últimos 12 meses
Nos últimos 12 meses, os destaques entre as maiores altas são passagem aérea (75,34%), leite longa vida (69,73%) e diesel (58,81%).

Entre as dez maiores baixas, se destacam a energia elétrica residencial e o arroz.

Maiores altas (agosto de 2021 a agosto de 2022)
Mamão: 85,02%
Cebola: 79,98%
Passagem aérea: 75,34%
Melancia: 71,19%
Leite longa vida: 69,73%
Melão: 63,32%
Óleo diesel: 58,81%
Café moído: 53,22%
Tangerina: 48,89%
Transporte por aplicativo: 48,8%
Maiores baixas (agosto de 2021 a agosto de 2022)
Carne de carneiro: -19,26%
Abobrinha: -14,03%
Energia elétrica residencial: -12,37%
Feijão-preto: -12,22%
Limão: -10,41%
Console de videogame: -8,01%
Coentro: -7,55%
Saco para lixo: -7,47%
Arroz: -6,59%
Açaí (emulsão): -6,55%
Como é calculado o IPCA-15?
De acordo com o IBGE, a pesquisa de preços foi feita entre 14 de julho e 12 de agosto de 2022. Os resultados foram comparados aos preços vigentes entre 14 de junho e 13 de julho de 2022.

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e do município de Goiânia.

A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

Fonte: .uol.com.br

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.