Três artistas inauguram exposições na Galeria Ecarta

Três artistas inauguram exposições na Galeria Ecarta

Foto: Reprodução Ursula Jahn/Divulgação

Obra de Ursula Jahn, a primeira artista contemplada pelo edital do Projeto Potência a expor na Galeria Ecarta

Foto: Reprodução Ursula Jahn/Divulgação

A Galeria Ecarta inaugura exposições de três artistas nesta terça-feira, 16 de abril, às 19 horas. Neca Sparta e Dennise Iserhard partilham a Galeria Ecarta com seus trabalhos na estreia do projeto Artista+Artista que propõe uma dupla de artistas nas duas salas expositivas do térreo durante todo o ano.

Já a artista visual Ursula Jahn apresenta a exposição Se esse corpo fosse meu na sala do Projeto Potência. Ursula é a primeira dos cinco artistas selecionados pelo edital para este novo espaço da Fundação Ecarta.

Com exposição intitulada título Antes, Ainda, Neca traz reflexões do impacto coletivo vivido na pandemia de covid-19 em 12 trabalhos com curadoria de Gabriela Motta, enquanto Dennise apresenta pinturas que abordam a resiliência frente ao tempo e às adversidades com seleção de Niura Legramante Ribeiro na exposição Laminina: transmutações do tempo.

Três artistas inauguram exposições na Galeria Ecarta

Foto: Reprodução

Ursula Jahn

Foto: Reprodução

Ursula Jahn reúne dois trabalhos com temática feminina dialogando sobre , assédio e feminicídio que circundam o universo feminino. O projeto de artes visuais da Fundação Ecarta tem a coordenação de André Venzon.

Projeto ARTISTA+ARTISTA

O projeto ARTISTA+ARTISTA é o novo programa de exposições da Galeria Ecarta que vai reunir a cada mês nas duas salas da Galeria Ecarta duplas de artistas que, junto às respectivas curadorias, somam suas investigações sobre técnicas, materiais e processos de produção em poéticas visuais, ampliando as conexões entre si, bem como a interlocução com o espaço expositivo e o público no contexto contemporâneo.

Três artistas inauguram exposições na Ecarta

Foto: Arquivo pessoal

Neca Sparta

Foto: Arquivo pessoal

Antes, Ainda, de Neca Sparta

A artista parte de materialidades ordinárias e situações cotidianas para desenvolver uma série de obras marcadas tanto pelo trauma coletivo da pandemia como por perdas pessoais. A interação entre esses universos tão distintos, aquilo que nos é comum e aquilo que é particular, articula uma trama que põe em evidência a intrincada relação entre ambos. Apresenta 12 trabalhos entre calendários, um livro de artista, vídeos e fotografias – obras que se conectam por uma obsessão ordenadora a dar sentido poético ao exercício diário de existir.

Arquivo pessoal/Dennise Iserhardt

Dennise Iserhard

Arquivo pessoal/Dennise Iserhardt

Laminina: transmutações do tempo, de Dennise Iserhard

A mostra propõe questões referentes ao tempo e suas nódoas, bem como aos ritos de passagens, como a finitude da vida e a necessidade de ser resiliente em relação às adversidades. Tais atribuições simbólicas são apresentadas em pinturas sobre telas, de qualidades matéricas que exploram materiais como tinta a óleo, resíduos de demolições, óxido de ferro e cimento. As obras instigam o olhar com jogos de repetições, construções e desconstruções em diversos formatos de telas.

Bárbara Neves é estagiária de jornalismo. Matéria elaborada com supervisão de César Fraga.

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.