Menu

Economia

Poeta e cronista maranhense Pedro Neto lança seu décimo primeiro livro

SÃO LUÍS – ‘Mortes em cadeia’ é o décimo primeiro livro do poeta, cronista e contista Pedro Neto, vencedor do Prêmio Amei de Literatura / 2021, na categoria Suspense.

Foto Reprodução

A história se passa na mítica Bruma, uma cidade cortada pelo rio Itapecuru, situada no interior do Maranhão. Pablo Rodrigues tenta, a muito custo, desvendar os crimes cometidos contra os presos no interior das celas da cadeia pública, comandada pelo jovem delegado. “Todos os assassinatos apresentam algo em comum: os presos são esganados, e a corda, utilizada para o cometimento dos crimes, amanhece ao lado dos cadáveres”, compartilha o autor.

Pelo menos cinco suspeitos vêm à tona à medida que o drama se desenrola, ao longo de 38 capítulos e quase duzentas páginas, que narram histórias dos moradores da pacata cidade e expõem, em muitas ocasiões, a tese de Hobbes de que “o homem, em guerra de todos contra todos, é lobo do próprio homem”.

Com uma estratégia bem elaborada, Pedro Neto oculta o matador dos presos até o fim da história, deixando inúmeras pistas ao longo da trama que, além do prazer característico da prosa, tem um viés poético bem apurado, levando o leitor a construir imagens altamente significativas na mente, da mais bela à mais abjeta, enquanto degusta o inebriante texto de Mortes em cadeia.

Para concluir com êxito sua investigação, Pablo Rodrigues vê ameaçados os próprios segredos, que ele guarda nos recônditos da alma, algo capaz de arruinar, mais que sua reputação de agente da lei, a sua própria vida.

O livro será lançado neste sábado (20), das 19h às 21h, na Livraria Amei, em São Luís.

Fonte: imirante.com

Saiba mais

Comentários