NY quer cobrar US$ 15 de motoristas no centro de Manhattan para reduzir engarrafamentos

Os motoristas da cidade de Nova York ficaram mais próximos de pagar uma nova taxa para entrar no distrito comercial de Manhattan, depois que a Autoridade de Transporte Metropolitana (MTA, na sigla em inglês) aprovou o primeiro plano de precificação de congestionamento do país, que pode começar em meados de junho.

A diretoria da MTA, que está implementando o pedágio, autorizou a estrutura de preços em uma votação de 11 contra 1 durante sua reunião mensal na quarta-feira.

“Nova York tem mais tráfego do que qualquer outro lugar nos EUA e agora estamos fazendo algo a respeito”, disse Janno Lieber, diretor executivo da MTA, em coletiva de imprensa após a reunião.

O novo plano cobrará US$ 15 da maioria dos carros que entrarem no bairro ao sul da 60th Street durante os horários de pico. O objetivo é reduzir o tráfego, melhorar a qualidade do ar, aumentar o número de passageiros em trânsito e fornecer cerca de US$ 1 bilhão por ano para modernizar a rede de metrôs, ônibus e trens urbanos da MTA.

“Sabemos que o preço do congestionamento produzirá menos poluição na região, menos congestionamento na região e uma melhor na região”, disse Carl Weisbrod, presidente do subcomitê da MTA que elaborou o plano e ex-diretor do Departamento de Planejamento da Cidade de Nova York.

Embora a votação da MTA seja um passo significativo, o programa precisará da aprovação final da Administração Federal de Rodovias (FHA) antes do início das novas cobranças, um procedimento que Lieber disse estar confiante de que ocorrerá a tempo de a MTA começar a cobrar dos motoristas em junho. Mas o programa é polêmico e enfrenta vários desafios judiciais que podem bloquear ou atrasar sua implementação.

Embora o MTA, os defensores do trânsito e os grupos ambientais o apoiem, os críticos afirmam que a taxa de congestionamento força os residentes locais a pagar uma taxa apenas para voltar para casa, e sobrecarregará as pequenas empresas que precisarão absorver a despesa ou repassá-la aos clientes. Isso também ocorre em um momento em que a criminalidade nos metrôs é uma preocupação crescente.

Para os motoristas de Nova Jersey que se deslocam para a cidade de Nova York, o plano acrescenta um pedágio às taxas que já pagam nos cruzamentos para entrar em Manhattan. Um tribunal distrital de New Jersey, em Newark, deverá ouvir os argumentos orais em 3 de abril na contestação legal do governador Phil Murphy, que está buscando uma análise ambiental mais longa do programa.

“Isso está longe de terminar e continuaremos a lutar contra esse flagrante roubo de dinheiro”, disse Murphy em um comunicado após a votação.

O presidente do bairro de Staten Island, Vito Fossella, a Federação Unida de Professores e um grupo de residentes também entraram com ações para atrasar ou interromper o novo pedágio.

Esses processos forçaram o MTA a suspender os projetos de atualização dos sinais do metrô em Manhattan e no Brooklyn. Outros projetos estão em risco: adição de novos elevadores às estações de metrô, substituição de vagões antigos, extensão da linha de metrô da Second Avenue até o Harlem e até mesmo projetos de reparos de rotina.

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.