Mais de 5.300 novas vagas formais são criadas no MA

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram criadas 5.327 novas vagas formais de trabalho em julho no , sendo que somente a atividade de Serviços respondeu por 3.644 postos (68%). No acumulado do ano, o saldo de emprego no estado é positivo em 27.172 vagas.

O levantamento do Caged informa que as vagas criadas pelo setor de Serviços ocorreram principalmente nos subsetores de educação, saúde e serviços sociais, seguridade social, alojamento, alimentação, informação e comunicação.

Os outros segmentos econômicos acompanhados pelo Caged também apresentaram saldo positivo em julho. O Comércio, uma das atividades de maior empregabilidade no Maranhão, criou 410 postos, enquanto a agropecuária contribuiu com mais 448 vagas, a construção civil com 437 e a indústria com 388.

Do total de 5.327 vagas formais de trabalho criada em julho no estado, 3.189 foram ocupadas por homens e 2.138 por mulheres. Por faixa etária, 2.207 postos foram absorvidos por trabalhadores com idade entre 18 e 24 anos. Pessoas com 30 a 39 anos conseguiram ocupar 1.183 vagas.

Os dados do Caged mostram ainda que a maioria das vagas foi ocupada por trabalhadores com ensino médio completo. Nesse caso, foram 3.421 pessoas. Enquanto 1.007 com ensino superior conseguiram um emprego no período.

Vagas no Brasil

No mês de julho o Brasil manteve o forte ritmo de geração de empregos com carteira assinada, alcançando um saldo positivo de 218.902 vagas formais, dando continuidade ao bom desempenho do ano de 2022. No acumulado até julho, o Brasil gerou 1.560.896 novos empregos formais. No período de agosto de 2021 a julho de 2022 – últimos 12 meses – o saldo positivo chegou a 2.549.939 vagas geradas.

Os dados de julho demonstram que o país alcançou um estoque recorde histórico de 42.239.251 empregos formais registrados no Novo Caged. De julho de 2020 a julho de 2022, o saldo positivo alcançou 5.542.283 novos postos de trabalho, decorrente de 43.141.648 admissões e 37.599.365 desligamentos no período.

Todos os cinco grandes grupamentos de atividades econômicas registraram saldos positivos em julho, sendo o maior crescimento no setor de Serviços, com saldo positivo de 81.873 postos de trabalho formais, seguido da Indústria, que registrou +50.503 e o comércio, com geração de +38.574 vagas no mês.

No ano, o setor da construção civil foi o que teve desempenho mais destacado, com um crescimento de 9,38% no estoque de empregos formais, puxando os demais setores que também obtiveram saldo positivo no acumulado do ano. O setor de serviços gerou 874.203 vagas, seguido pela indústria, com 266.824 novos empregos até o momento.

Caged Geográfico

O resultado positivo de julho foi verificado em todo o país, sendo percebida nas 27 Unidades da Federação, com destaque para São Paulo, com 67.009 novos postos de trabalho (+0,51%); Minas Gerais com +19.060 postos (+0,43%) e Paraná que gerou +16.090 postos (+0,55%).

Do ponto de vista regional o grande destaque foi a região Norte, com um crescimento de 0,8% da força de trabalho, o maior crescimento relativo entre as cinco regiões brasileiras.

Salário Real

Pelo segundo mês seguido o salário médio real de admissão apresentou crescimento, alcançando a média de R$1.926,54, variação positiva de 0,80%. Comparado ao mês anterior houve um acréscimo real de R$15,31, sendo o maior crescimento foi verificado no setor do comércio, R$1.685,67, variação de 1,95%.

Fonte: imirante.com

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.