Menu

Notícias

Lula retorna ao Maranhão como parte de agenda política pelo país

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à presidência do Brasil pelo Partido dos Trabalhadores (PT) estará em São Luís no próximo dia 2 de setembro.

A informação da agenda política na Ilha do Amor foi confirmada nesta segunda-feira (22) pelo presidente estadual da legenda trabalhista no Maranhão, Francimar Melo.

Além da sua própria campanha, o petista vem ao Maranhão fortalecer a campanha à reeleição do governador Carlos Brandão, e de senador do ex-governador Flávio Dino, ambos do PSB.

A proposta da agenda do ex-presidente em solo maranhense ocorreu no Piauí, há duas semanas. Na ocasião, em visita a Teresina, Lula conversou com Brandão e seu vice, Felipe Camarão (PT), e confirmou a passagem por São Luís.

O governador Carlos Brandão (PSB) também usou as redes sociais para repercutir a vinda de Lula ao Maranhão, “Tá confirmado! No dia 02/09 vamos receber o presidente Lula no maior ato político do Maranhão e um dos maiores do Brasil nessas eleições 2022. Comigo, Lula, Dino e Camarão, vamos fazer ainda mais para garantir desenvolvimento com qualidade de vida a todos os maranhenses”, disse Brandão.

Quem também repercutiu a vinda de Lula em suas redes sociais foi o ex-secretário de Educação do Maranhão, Felipe Camarão, candidato a vice-governador pelo PT. “Faremos um grande ato para receber o maior líder político da história do Brasil. O verdadeiro time do Lula estará presente. Vamos juntos povo maranhense e Carlos Brandão”.

Veja mais: 

A última vez que o presidente Lula esteve em São Luís foi em agosto de 2021, quando o ex-governador Flávio Dino (PSB) estava no comando do executivo maranhense, quando o ex-presidente havia iniciado um giro pelo país em busca de apoios para viabilizar a sua candidatura a presidência do Brasil.

Lula agradeceu o governador Flávio Dino (PSB-MA) por sua lealdade e solidariedade nos momentos mais difíceis que o Partido dos Trabalhadores passou, citando como exemplo, o impeachment da presidente Dilma Rousseff e da defesa por sua inocência nos processos que tem respondido na justiça.

Na época, Lula cumpriu uma agenda política de compromissos ao lado de Flávio Dino, Carlos Brandão e do senador Weverton Rocha (PDT), além de ter participado de um jantar na casa da ex-governadora Roseana Sarney e do ex-presidente Sarney, ambos do MDB no Maranhão, o qual ele classificou como muito agradável, e que a roda de conversa ultrapassou a extensão política.

Durante uma coletiva a imprensa, o ex-presidente afirmou que conversar com a classe política se faz necessário para quem tem pensamentos futuros para o Brasil. E que não se consegue fazer as mudanças que se quer no Brasil se não tiver uma relação de confiança com as pessoas.

“Política não se faz com quem se gosta. Política não se faz com quem gosta da gente. Política a gente faz seriamente pensando no interesse do povo de uma cidade, de um estado ou de uma nação. E a gente conversa com todo mundo para construir alguma coisa para que possa atender o maior número de pessoas possíveis. E tentar evitar empilhar um conjunto de contratempos bem menor do apoio que necessitamos. Eu fui presidente duas vezes, eu sei como funciona o congresso nacional, eu sei como funciona o senado, eu sei como funciona os partidos, a cabeça dos presidentes dos partidos, deputados. Portanto se tem uma coisa que eu aprendi, é que a única coisa que você não pode deixar de quando entra na política é conversar. Política é a arte de conversar mesmo quando você estabelece um diálogo que estão discordando de ti. Conversando você pode até não ganhar, mas não conversando você só perde”, ressaltou o ex-presidente na época.

Fonte: oimparcial.com.br

Saiba mais

Comentários