Menu

Notícias

Candidatos à Presidência da República destacam celebração do bicentenário da Independência no rádio

Os candidatos à Presidência da República com melhor desempenho nas pesquisas de intenção de voto citaram nesta terça-feira (6), durante o horário eleitoral gratuito no rádio, o bicentenário da Independência do Brasil, que será comemorado na quarta-feira (7).

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que tem o melhor desempenho no agregador de pesquisas Locomotiva/CNN (44%, contra 31% do presidente Jair Bolsonaro), disse que o 7 de Setembro deve ser comemorado com “união” — o que, segundo ele, “não acontece hoje”.

Em sua propaganda, ele apontou que o atual governo “usa nossa bandeira para mentir, pregar o ódio e incentivar a venda de armas”. “O 7 de Setembro é para ser comemorado com alegria e união por todos os brasileiros. Infelizmente, não é o que acontece hoje”, disse.

O candidato à vice-Presidência de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), também aparece na peça e diz esperar que o “próximo 7 de Setembro seja no Brasil da esperança”. “Viva a nossa Independência. Do nosso lado, tem espaço para todos os democratas, os verdadeiros patriotas deste país”, afirmou.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou seu tempo no rádio para convocar a população para celebrar a data nas ruas “com paz e harmonia”, tanto em Brasília como em Copacabana, no Rio de Janeiro, onde ele deverá estar presente. “Eu convido as famílias brasileiras para irem às ruas comemorar os 200 anos da nossa Independência. Em paz e harmonia, vamos saudar a nossa Independência”, diz.

Na sequência uma série de pessoas aparecem e reforçam o convite às celebrações. As vozes defendem os “valores da família” e a “fé”. “É dia de todos os brasileiros, é dia de relembrar nossa Independência e renovar nossa luta pela liberdade”, afirma o narrador.

Em sua propaganda, Ciro Gomes (PDT) não abordou o tema. Ele falou sobre suas propostas para fazer da educação brasileira “uma das dez melhores do mundo”, dentro de um prazo de cinco anos. O pedetista propõe a valorização do professor e menciona sua experiência no estado do Ceará.

Simone Tebet (MDB), por sua vez, repudiou a violência política às vésperas das eleições. Ela apontou que Lula e Bolsonaro incentivam “o nós contra eles” e, dessa maneira, tornam o ambiente ainda mais tenso. A narradora da peça prevê um “festival de ofensas” entre candidatos durante o 7 de Setembro e lamenta a intolerância.

A peça de Soraya Thronicke (União Brasil) a define como a “maior revelação desta eleição”. A gravação diz que, em poucos dias de campanha, a senadora passou a pontuar nas pesquisas de intenção de votos.

Felipe D’Avila (Novo) também abordou o 7 de Setembro. Apesar da comemoração da Independência, ele diz que o brasileiro permanece “refém dos mesmos políticos”.

Fonte: cnnbrasil.com.br

Saiba mais

Comentários