Ivermectina não funciona contra a dengue, alerta Ministério da Saúde

O Ministério da desmentiu, nessa segunda-feira (5/2), que a ivermectina tenha eficácia na prevenção e tratamento da dengue. O posicionamento vem após uma série de fake news divulgadas por alguns perfis de profissionais da saúde.

“Para ficar claro: a ivermectina também não é eficaz em diminuir a carga viral da dengue. O Ministério da Saúde não reconhece qualquer protocolo que inclua o remédio para o tratamento da doença”, afirma a pasta em nota oficial.

A ivermectina é um medicamento usado no tratamento de infestações por vermes e parasitas. Ela ganhou visibilidade durante a pandemia da Covid-19, quando foi apontada como uma opção de tratamento precoce, mesmo sem comprovação científica. Entretanto, vários estudos comprovaram que tomar ivermectina não reduz o risco de um paciente com o coronavírus precisar ser hospitalizado.

“Disseminação de fake news, principalmente quando se trata de um cenário epidemiológico que pede atenção, é extremamente perigoso”, afirma a pasta.

Tratamento da dengue

Em um cenário como o atual, de epidemia da dengue, a população deve ficar atenta aos sintomas da doença. Eles podem incluir febre, dor no corpo e nas articulações, dor atrás dos olhos, mal-estar, falta de apetite, dor de cabeça, manchas vermelhas no corpo, dor abdominal intensa, vômitos, letargia ou irritabilidade.

Ao notar os sintomas, os pacientes devem procurar atendimento médico para iniciar o protocolo oficial, que pode incluir exames laboratoriais.


0

De acordo com o Ministério da Saúde, os pacientes com quadros leves devem seguir em repouso enquanto a febre durar, além de fazer hidratação com ingestão de líquidos. O uso de paracetamol ou dipirona é indicado em caso de dor ou febre. Na maioria dos casos, o paciente se recupera depois de 10 dias.

“É muito importante retornar imediatamente ao serviço de saúde em caso de sinais de alarme (dor abdominal intensa e contínua, náuseas, vômitos persistentes e sangramento de mucosas). O protocolo sugere a internação do paciente para o manejo clínico adequado”, aconselha o ministério.

Siga a editoria de Saúde no Instagram e fique por dentro de tudo sobre o assunto!

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.