Morar em uma casa construída por impressora 3D? Empresas avançam nos EUA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Animação de casa feita com impressora 3D da ICON
Animação de casa feita com impressora 3D da ICON (ICON/Reprodução)

 

Ter uma casa para chamar de sua é o sonho de muitas pessoas — e que pode parecer impossível, à primeira vista. De olho em mudar esse cenário, especialmente considerando que nos próximos nove anos, 40% da população mundial vai precisar de acesso à moradia, empresas dedicam a desenvolver projetos focados na população de baixa renda. E os primeiros resultados já começam a aparecer: nos Estados Unidos, a Alquist, em parceria com a ONG Habitat For Humanity, entregou a primeira casa impressa em 3D a uma moradora do estado da Virgínia. O projeto foi finalizado pouco antes do Natal e tem cerca de três quartos, dois banheiros e foi construído principalmente utilizando concreto. Tudo isso, em cerca de 12 horas.

“Meu filho e eu estamos muito agradecidos. Eu sempre quis ser a dona de uma casa e esse é um sonho se tornando realidade”, afirmou April Stringfield, que conseguiu comprar a casa por meio do programa da Habitat For Humanity. Depois que a casa foi construída, a Alquist instalou uma impressora 3D no local, para que April possa realizar substituições simples no lar, como interruptores de luz.

Relacionadas

A história de April está longe de ser a única focada em impressão de casas em 3D. De olho no mesmo objetivo, empresas como a Mighty Buildings criam imóveis sustentáveis e que podem ser produzidos em cerca de 24 horas, considerando uma casa de 32 metros quadrados.

“Aplicando automação de última geração, a Mighty Buildings pode imprimir estruturas em 3D duas vezes mais rapidamente, com 95% menos horas de trabalho e dez vezes menos desperdício do que uma construção convencional”, afirma Sam Ruben, cofundador da Mighty Buildings. “Quanto à sustentabilidade, conseguimos eliminar virtualmente os resíduos da construção que, no caso da construção tradicional, acabam em aterros”.

Em termos de valores, os modelos oferecidos pela empresa variam de 115.000 a 285.000 dólares, incluindo acabamentos.  “Uma casa tradicional construída em madeira na Califórnia custa 327 dólares por metro quadrado. A nossa sai 40% mais em conta”, afirma o executivo.

Com o investimento de empresas de capital de risco como a Khosla Ventures e a Y Combinator, a startup pretende agora aprimorar seus processos e expandir as parcerias para que se torne capaz de imprimir e implantar estruturas em prazos curtos e em grande escala em todo o mundo.

Também mirando o futuro, a empresa de tecnologia de construção ICON, com sede em Austin, no Texas, está usando sua impressora 3D, chamada de Vulcan, para construir casas.  Ela afirma que a Vulcan consegue criar uma estrutura de 800 metros quadrados por 10 mil dólares (aproximadamente 54 mil reais). O tempo de construção também é curto, cerca de sete dias.

Quatro casas na cidade de Austin estão sendo construídas com a tecnologia da ICON e devem estar prontas para mudança entre junho e setembro, durante o verão norte-americano. Cada uma das casas demorou de cinco a sete dias para impressão e elas têm entre 92 e 185 metros quadrados.

As casas não foram feitas só com a impressora 3D. Apenas o primeiro andar de cada uma delas foi, o que ainda é bastante surpreendente. Os outros andares foram construídos com materiais normais.

As quatro casas estão sendo vendidas a partir de 450 mil dólares, o que, segundo o The Verge, é o preço médio para uma casa na cidade hoje. De acordo com a ICON, o material de cimento utilizado é patenteado e chamado de “Lavacrete”. A empresa afirma que ele é mais durável do que materiais tradicionais.

Por enquanto, 24 casas já foram construídas pela ICON nos Estados Unidos e no México e a maioria já está habitada. Sete delas foram criadas para moradores de rua de Austin.

Fonte: exame.com

Veja também

Produtos