Ethereum em 2022: o que é o dinheiro no metaverso?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Ethereum

Especialista traça algumas previsões para o blockchain Ethereum em 2022 (Thomas Trutschel/Getty Images)

A rede Ethereum é um blockchain de contratos inteligentes focado na construção de um ambiente seguro e descentralizado para hospedar aplicativos de todos os tipos.

No ano passado, as finanças descentralizadas (DeFi) e os tokens não-fungíveis (NFTs) subiram ao palco para mostrar ao mundo as possibilidades que podem surgir da tecnologia blockchain. No entanto, os produtos de escalabilidade que podem aumentar o desempenho em resposta às mudanças nas demandas de processamento estão começando a desbloquear o vasto potencial que a Ethereum possui, e seu cofundador, Vitalik Buterin, está de olho na descentralização da mídia social, jogos, governança e muito mais.

Relacionadas

Em seus primeiros anos de existência, a Ethereum se tornou amplamente a hospedeira de marketplaces  para a negociação e empréstimo de criptoativos (Uniswap e Aave) e comprar ou vender arte digital (OpenSea). A introdução de plataformas de segunda camada construídas na Ethereum, como Arbitrum e Optimism, e soluções tecnológicas como os ZK Rollups, irá reduzir as taxas de transação e abrir a Ethereum para plataformas de mídia social descentralizadas como o Reddit.

O tema comum entre todos os casos de uso será a necessidade dos usuários possuírem e gastarem a criptomoeda nativa da Ethereum, o ether.

O ether é a chave para desbloquear o blockspace da rede Ethereum, incluindo a implantação de novos aplicativos, o uso de aplicativos existentes ou o envio de tokens entre carteiras diferentes. O token nativo está para a rede assim como a gasolina está para um carro. Após a EIP-1559, os consumidores do blockspace compram e queimam o ativo para participar da economia digital. Em um futuro próximo, o ether também será usado para staking e proteção da rede.

Resultante de sua utilidade como combustível, o ether se tornou uma unidade de conta e o par mais comum em exchanges descentralizadas (DEXs).

O que é dinheiro no metaverso?

Se a Ethereum, os protocolos alternativos da camada de base (ou seja, Solana e Avalanche) e “o metaverso” forem bem-sucedidos, a definição de dinheiro se tornará muito mais ampla do que sua limitação fiduciária de hoje. Já estamos vendo protocolos levantando capital e investidores medindo seus portfólios em relação ao ether em vez de dólares ou mesmo stablecoins (tokens atrelados ao valor de uma moeda fiduciária). No entanto, o uso de ether como dinheiro não desacredita as moedas fiduciárias, stablecoins e outras reservas de valor. É simplesmente um complemento – e que poderia se tornar a moeda do metaverso.

Criptoativos, incluindo o ether, ainda são muito mais reflexivos à demanda do que stablecoins e dólares, tornando-os um investimento melhor do que uma moeda (por enquanto). Contudo, quanto maior se torna o ecossistema Ethereum, melhor se torna o ether como moeda.

Atualmente, os especuladores superam os usuários reais do blockchain, mas um ecossistema em crescimento está mudando isso, pois o ether pode ser usado para DeFi, NFTs, validação, mídias sociais e muito mais. Na verdade, no relatório de ganhos do terceiro trimestre da Coinbase, a empresa destacou que viu uma grande mudança no sentido das pessoas realmente usarem a tecnologia blockchain, ao retirar seus tokens de corretoras.

O gráfico abaixo mostra como os usuários da rede cresceram junto com as novas contas da Coinbase, sinalizando que os usuários estão genuinamente interessados em interagir com os aplicativos da Ethereum. Alternativas mais baratas para a Ethereum Mainnet, ou versão ao vivo, ganharam ainda mais força, com a Polygon lançando uma mainnet de usuários ativos por um dia no início de outubro. Além disso, a Arbitrum integrou 275 mil usuários em busca de interações de blockchain mais baratas.

ethereum 2022 O número de usuários ativos na Coinbase e no blockchain sobe simultaneamente

O número de usuários ativos na Coinbase e no blockchain sobe simultaneamente (Coinbase/Reprodução)

A tokenização de ativos e a composição entre aplicativos DeFi estão apenas começando a criar mercados abertos e negociáveis ​​para ativos que antes não tinham liquidez. Ativos que podem ser negociados uns contra os outros, usados ​​como garantia ou enviados para qualquer parte do mundo em um instante, começam a se comportar muito mais como dinheiro do que propriedade ou reservas de valor.

De acordo com Julien Bouteloup, fundador da Stake Capital e desenvolvedor principal da Exchange descentralizada Curve, a força de trabalho da Web 3.0 demonstrou interesse significativo em receber participação em tokens ao invés de stablecoins. Embora isso possa ser um efeito colateral do mercado e dos valuations em alta, os funcionários provavelmente estão genuinamente interessados ​​em ser proprietários dos projetos em que trabalham.

O que vem por aí para o valor do ether?

Os jogos play-to-earn acabaram de começar, e o Axie Infinity já está gerando bilhões de dólares em receita anual. Usuários em todo o mundo vivem da renda do jogo, com a receita constituindo uma parte notável do produto interno bruto das Filipinas. A conexão entre jogos e finanças está cada vez mais próxima, destacando apenas um dos aspectos de um mundo mais digitalizado.

Se as tendências de hoje forem transportadas para o futuro de amanhã, o mundo estará mais financeirizado do que nunca. É muito cedo para dizer se isso será um resultado positivo para a humanidade, mas os criptoativos e DeFi deram uma ideia das coisas boas e ruins que vêm com a tokenização.

Airdrops (distribuições exclusivas) e a distribuição de capital (quando feita corretamente) compartilharam riqueza de forma muito mais livre e justa do que as empresas, historicamente. No entanto, o outro lado é igualmente verdadeiro, pois os golpes e ataques cibernéticos mostram como a ganância pode ser ampliada por meio da tokenização e da economia anônima.

Para o bem ou para o mal, a definição de dinheiro continuará a se tornar mais confusa à medida que a economia digital cresce, assim como aconteceu com a criação de cartões de crédito e pagamentos online e o afastamento do papel-moeda. Isso se encaixa perfeitamente com a narrativa do metaverso, onde a linha entre o mundo digital e a vida real se torna cada vez mais tênue.

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Fonte: exame.com

Veja também

Produtos