Homem é detido pela 7ª vez por violência contra a mulher na capital

Um homem, identificado como Thiago Pereira da Silva, de 39 anos, foi preso preventivamente nesta segunda-feira (22), no bairro Forquilha, em São Luís, suspeito de divulgar cenas de sexo, ameaçar e praticar injúria contra a ex-companheira. Esta é a sétima vez que o homem é preso por crimes praticados contra mulheres.

De acordo com a Delegacia Especial da Mulher de São Luís (DEM), que investiga o caso, Thiago Pereira, que estava foragido, manteve um relacionamento amoroso com a vítima por cerca de um mês e, após o término do romance, passou a agredir verbalmente e ameaçar a mulher. Por fim, o investigado divulgou um vídeo íntimo com cenas de sexo entre ele e a ex-companheira.

Ainda segundo a Delegacia da Mulher de São Luís, o investigado responde a 14 processos criminais, 10 destes na 1ª Vara Especial de Doméstica e Familiar. O suspeito também possui sete registros de passagens pelo sistema penitenciário, todos por crimes contra mulheres.

Também de acordo com as investigações, a forma que o autor age com as vítimas é sempre a mesma, com extremo menosprezo, representando grande risco para as mulheres com quem se envolve.

Após vários levantamentos realizados pela equipe de captura foi constatado que o autor estava residindo em uma quitinete, no bairro Forquilha, local onde foi detido e apresentando no plantão da Delegacia da Mulher. Após a adoção das providências legais o preso foi encaminhado para Central de Inquérito e Custódia onde permanece à disposição do Poder Judiciário.

Veja mais:

Outros crimes

Não é a primeira vez que Thiago é preso por crimes semelhantes contra mulheres. Em 2018, o homem foi preso após descumprir uma medida protetiva de urgência contra outra ex-companheira. Mesmo depois de preso, Thiago ameaçou a vítima de morte novamente, afirmando que assim que fosse posto em liberdade, a mataria.

À época do fato, a então titular da DEM, delegada Wanda Moura, informou que Thiago possuía passagens pela polícia desde 2015. Ainda em 2018 o criminoso ficou sendo monitorado por meio de tornozeleira eletrônica, mas, mesmo assim, continuou ameaçando a ex-companheira, identificada como Jully Rego de Lima, que falou publicamente sobre o caso.

“Como ele não tinha mais contato comigo, ele saia ameaçando todos da minha família. Ele se passava por outras pessoas e acabava ameaçando meus pais, minha mãe, meus tios, primos e até a minha filha de 4 anos. Ele chegou a entrar no portal da minha faculdade em uma parte que só eu tinha acesso, respondeu atividades erradas e disse que faria de tudo para me reprovar. Eu fiz vários boletins de ocorrência contra ele, avisava as pessoas o que estava acontecendo e me isolava, por medo do que poderia acontecer”, relatou Jully, em 2018.

Ainda segundo Jully, ela decidiu se manifestar publicamente sobre o caso para alertar outras vítimas.

“Hoje em dia, o mal das mulheres é duvidar achando que a pessoa não é capaz de fazer nada contra ela. Jamais a mulher deve ter esse sentimento de dúvida ou de desafiar uma mente doentia dessa. Eu fiz questão de divulgar a minha vida, a minha história justamente para não acontecer com outras mulheres. A internet é muito perigosa, pois, às vezes a mulher olha um cara bonitinho, legalzinho, formado, etc, e se ilude. Esse foi o meu problema, eu fui pelo papo dele e isso causou uma grande destruição na minha vida”, alertou a vítima à época.

 

Fonte: imirante.com

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.