Greve continua: rodoviários confirmam terceiro dia de greve em São Luís

A greve de ônibus na Grande Ilha de São Luís continua. Nesta quinta-feira (8), os motoristas e cobradores do transporte público entram no 3º dia de paralisação da frota após impasse nas negociações do Acordo Coletivo 2024. Com isso, a população continuará tendo que improvisar para chegar ao trabalho.

O Tribunal Regional do Trabalho ainda não se pronunciou sobre o descumprimento da decisão liminar que determinou a circulação de 50% da frota. Até o momento, 100% dos ônibus estão nas garagens.

Uma nova rodada de negociações está marcada para acontecer na quinta-feira, às 14h, na sede do Ministério Público do . Na ocasião, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário deve analisar a nova contraproposta que deverá ser colocada na mesa pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros, Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte e Agência de Mobilidade Urbana.

Nesta quarta-feira (7), empresários e representantes do Governo do Maranhão e Prefeitura de São Luís, reuniram-se para discutir a contraproposta que será apresentada. A SMTT informou ao Difusora ON que participa ativamente das negociações para pôr fim à greve dos rodoviários.

A MOB informou por meio de nota que participará de uma nova rodada de negociações com a presença dos rodoviários e empresários. A Agência de Mobilidade Urbana destacou ainda o compromisso de não realizar reajustes tarifários no sistema de transporte semiurbano.

O Sindicato dos Rodoviários pede um reajuste salarial de 15% para trabalhadores que fazem dupla função, ou seja, dirigem e cobram. Para os trabalhadores que apenas dirigem e para os que apenas cobram, a categoria pede um reajuste de 10%.

Na última terça-feira (6), a primeira rodada de negociações não registrou avanço. A proposta apresentada pela SET ao STTREMA não agradou a categoria. Segundo Marcelo Brito, presidente do Sindicato dos Rodoviários, a proposta de 5% foi considerada desrespeitosa.

O Tribunal Regional do Trabalho determinou que 50% da frota de ônibus circule em São Luís, sob pena de descumprimento. O valor da multa a ser paga pelo descumprimento será de R$ 30.000, além de responderem pelo crime desobediência (previsto no art. 330 do Código Penal).

A Grande Ilha de São Luís permaneceu sem ônibus circulando pela cidade durante toda a quarta-feira (7). Marcelo Brito afirmou que conversou com a categoria para convencê-los de cumprir a liminar, porém os trabalhadores não renunciam à paralisação total.

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.