Menu

Economia

Golpe no iFood deixa cliente sem a comida depois de já ter feito o pagamento

Clientes que fizeram pedido no iFood relatam que pagaram, mas não receberam sua comida. Segundo eles, a entrega não aconteceu por causa de um golpe que usa o número de celular do cliente.

O entregador que aplica a fraude consegue os quatro últimos números do celular da vítima para confirmar a entrega do pedido sem tê-la concluído. O iFood diz que dá apoio aos clientes e tem uma equipe para identificar golpes desse tipo (leia mais abaixo o que a empresa comenta sobre isso em detalhes).

Segundo os relatos de diferentes consumidores, esse entregadores inventam alguma desculpa para conseguir o telefone da pessoa. O código de entrega usado pelo iFood é formado pelos quatro últimos dígitos do telefone do cliente. Quando obtém esse, o entregador pode alegar que o pedido foi entregue, mesmo que não tenha sido.
No Twitter, Thiago Soares, professor de comunicação da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), reclama por não receber a comida solicitada pelo iFood. Ele diz que o entregador alegou que estava perdido e pediu para que ele enviasse a localização pelo WhatsApp. Quando o cliente fez isso, o entregador teve acesso ao número do celular, confirmou a entrega, mas não compareceu.

Noite de refeição frustrada

Sandrielly Vieira, 19 anos, estudante de Vila Velha, Espírito Santo, relata que estava na casa do namorado quando decidiram pedir um lanche no iFood. Então fizeram um pedido no Burger King que foi aprovado, preparado e saiu para entrega.

“Recebi o código para confirmar o pedido, que no iFood são os 4 últimos dígitos do número de celular, e aguardei. A entrega era rastreável e fiquei acompanhando pela plataforma. Quando o entregador estava próximo da rua, saímos até o portão”, conta a estudante.

Depois de algum tempo, o GPS constatou que o entregador estava na rua da residência, mas não havia sinal dele. Nesse momento, o pedido foi finalizado e dado como entregue.

“Ainda esperamos mais 30 minutos em frente ao portão pensando que ele não tinha achado a casa, mas nunca nem chegou até ela”, conta Vieira sobre o golpe.

Seu namorado lembrou que as notas fiscais do iFood dispõem de informações sobre a compra do cliente. Eles supuseram que o telefone estivesse lá.

“Rapidamente acionamos o suporte do iFood relatando o ocorrido. Recebi uma mensagem padrão de qualquer atendimento, e não obtive mais respostas durante dias”, lamenta a estudante, que levou o caso para o site do Reclame Aqui. O iFood respondeu e, horas depois, liberou o reembolso.

iFood diz que tem equipe para detectar atividades ilícitas

Sobre o golpe, a empresa afirma que “repudia desvios de conduta, sejam consumidores, estabelecimentos ou entregadores. A plataforma também mantém comunicações a fim de orientar clientes e parceiros sobre golpes e reitera que possui um time interno especializado e dedicado para acompanhamento de atividades suspeitas em todo o país”.

 

Fonte: economia.uol.com.br

Saiba mais

Comentários