Fevereiro Laranja: campanha de alerta para prevenção, diagnóstico precoce e combate às leucemias

No chamado Fevereiro Laranja todo o alerta é válido para estimular a doação de medula óssea, assim como conscientizar sobre esse que é um dos tipos de cânceres mais incidentes: As Leucemias, grupo de doenças que afetam o sangue e a medula óssea.

De origem desconhecida, a leucemia é uma doença complexa que afeta milhares de pessoas em todo o . Caracterizada pela produção descontrolada de células sanguíneas anormais na medula óssea, a leucemia compromete o funcionamento do sistema imunológico e pode levar a complicações graves se não for tratada adequadamente

Vale lembrar que a medula óssea é o local onde são produzidas as células sanguíneas e ocupa o centro dos ossos. Nela são encontradas as células que dão origem aos glóbulos brancos (leucócitos), aos glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) e às plaquetas.

Na leucemia, uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética que a transforma em uma célula cancerosa. Essa célula anormal não funciona de forma adequada, multiplica-se mais rápido e morre menos do que as células normais. Dessa forma, as células sanguíneas saudáveis da medula óssea vão sendo substituídas por células anormais cancerosas.

Existem mais de 12 tipos de leucemia, sendo que as quatro principais são leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (LLC) Podem acontecer em qualquer faixa etária, entretanto, com alguns subtipos predominantes de acordo com a idade. Como por exemplo, as LLA são mais comuns em crianças menores que 15 anos, com pico de incidência entre 2 e 5 anos, enquanto as LLC e LMA são mais incidentes em pessoas mais velhas.

A Farmacêutica-Bioquímica e PhD em Onco-hematologia Dra. Elda Noronha, assessora científica do Laboratório Lacmar, faz o alerta sobre a importância do exame hemograma na detecção precoce das leucemias:

“Devemos ficar sempre atentos aos sinais e sintomas dessa doença: como fadiga persistente, febre, sudorese noturna, perda de peso sem motivo aparente, dores nos ossos e nas articulações, além de sangramentos e hematomas frequentes .
Contudo, muitos desses sintomas, às vezes podem ser inespecíficos e confundidos com sinais de outras doenças. Nesse cenário, um dos exames determinantes para que se possa suspeitar de uma leucemia é o hemograma” explica a Dra. Elda Noronha.

Ela lembra ainda que, mediante alterações nesse exame, como presença de células imaturas, diminuição dos glóbulos vermelhos, aumento ou diminuição dos glóbulos brancos e plaquetas é sempre aconselhável procurar com urgência um médico especialista como um(a) hematologista; para que possa avaliar melhor o quadro do paciente e fazer um diagnóstico mais preciso.

Por isso, é importante manter sempre uma rotina de exames laboratoriais em dia, com serviços rápidos e especializados , como os do Laboratório Lacmar.

“O Fevereiro Laranja desempenha um papel fundamental ao alertar a população sobre os sinais de alerta da doença e incentivar a busca por assistência médica especializada. O hemograma é a ferramenta fundamental para o diagnóstico precoce da leucemia. Este exame analisa a quantidade e a qualidade das células sanguíneas, permitindo identificar alterações que podem indicar a presença da doença. É importante ressaltar que um resultado de hemograma alterado não confirma o diagnóstico de leucemia, mas é um sinal de alerta que deve ser investigado por um médico especialista” finaliza a especialista em onco-hematologia do Laboratório Lacmar Dra. Elda Noronha.

Diante do cenário desafiador das leucemias, o Fevereiro Laranja nos convida a unir forças na luta contra essa doença, promovendo a conscientização, o acesso ao diagnóstico precoce, o que pode ajudar a salvar muitas vidas.

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.