Menu

Notícias

Estudantes denunciam o processo de eleição contra suposta fraude nas eleições da UEMA

Durante a manhã desta terça-feira (13), estudantes da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), campus São Luís, foram para a entrada da instituição protestar contra uma suposta fraude no resultado das eleições para reitor e vice-reitor, que foi divulgado na noite da segunda-feira (12).

A chapa vencedora da votação foi a 3, composta por Walter Canalles e Paulo Cantuda. Segundo os estudantes, as chapas que ficaram na segunda e terceira colocação são desconhecidas do público estudantil.

As votações foram feitas através do Sistema Integrado de Gestão da UEMA (SIGUEMA), canal utilizado para as atividades de organização e comunicação da universidade com a comunidade acadêmica. A gestão da universidade desenvolveu sozinha o sistema de votação.

Para Josewania Coelho, Presidente do DCE da Universidade Estadual do Maranhão, as eleições não representam o corpo estudantil e a comunidade acadêmica. “Essas chapas que foram eleitas foram justamente as chapas que fugiram do debate na semana passada e não apresentam compromisso com a Universidade e, principalmente, com os estudantes”.

Durante o ato, que questiona a legitimidade do processo, houve manifestação de diversas insatisfações com a forma como foram conduzidas as eleições, havendo falta de paridade de votos, ressaltando que o peso do voto estudantil é de apenas 15%, enquanto professores possuem 70% do peso na votação.

Os estudantes ainda relatam que esta denuncia de irregularidade não é a única observada pelo corpo discente, outros indícios de fraudes também foram apontados como uso dos canais oficiais de comunicação da instituição de ensino superior para campanha de chapa, publicações frequentes em apoio a chapa 3, intimidação e assédio de apoiadores.

O estudante Umaitan Ferreira Jr, participante do Do Centro Acadêmico de Filosofia, denuncia a situação como “um processo viciado”. Para o graduando em filosofia as chapas se configuram como “laranjas”, por não terem realizado campanha nos campus da UEMA.

Por fim, Umaitan finaliza pedindo que às demandas estudantis sejam atendidas. “Com tudo isso, nós estamos reivindicando a anulação imediata das eleições, para que seja feito um novo processo eleitoral, democrático e transparente. Nós também estamos reivindicando, como estudantes, a paridade de votos, que estes tenham peso equivalente aos dos professores e técnicos administrativos”, pontua o graduando.

As manifestações ganharam força nas redes sociais com a hashtag #fraudenauema, usada para divulgar e reconhecer a voz estudantil.

A instituição encaminhou nota esclarecendo o tema e direcionado alguns pontos importantes da manifestação. Leia na íntegra a informação adicional.

Fonte: oimparcial.com.br

Saiba mais

Comentários