Menu

Entretenimento

Defesa de Bruno diz que o ex-goleiro não pode pagar pensão porque ele é sustentado pela esposa

Defesa do ex-atleta contesta valor da pensão.

Bruno Fernandes – Foto: Reprodução/Redes Sociais
Bruno Fernandes – Foto: Reprodução/Redes Sociais

O goleiro Bruno Fernandes alega, por meio de sua defesa, que ele está sendo sustentado pela esposa Ingrid Calheiros e, por conta disso, não consegue pagar pensão ao filho com Eliza Samudio. O ex-atleta deve pagar uma indenização de mais de R$ 650 mil, conforme sentenciado pela Justiça de Mato Grosso do Sul.

O advogado do ex-atleta, Wilton Edgar Acosta, contou para o G1 que Bruno não tem emprego fixo e a esposa dele sustenta a família.

“A atual esposa dele está mantendo o sustento da família. Por enquanto, ele tem se sustentado com isso, com a ajuda dela, mas ele está buscando trabalho, ele tem uma profissão, quer exercer a atividade de jogador de futebol e nessa área ele está buscando trabalho”, revelou o advogado.

Bruno abre comércio

Em fevereiro de 2022, Bruno abriu loja de açaí, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio. Porém, conforme o advogado, o estabelecimento durou pouco tempo. “Ele tinha acabado de se estabelecer e teve que fechar as portas”, disse Acosta.

Ainda, segundo a defesa, parte do dinheiro da venda do comércio foi utilizada para o pagamento de cerca de R$ 100 mil referente a pensões atrasadas de Bruninho, que mora em Campo Grande, com a avó materna. Ele também arrecadou dinheiro na internet.

Carlos Germano

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários