Menu

Economia

Compras online continuarão em alta nos próximos anos

A pandemia de Covid-19 impactou a vida da população mundial em todos os aspectos. Relações humanas, saúde, educação, trabalho, cultura, esporte, e mais fortemente, a economia.

No país, agora que a situação está começando a criar um cenário positivo, mas que ainda vai durar anos para que possa chegar a uma situação confortável.

Durante a grave crise epidêmica no mundo, como é sabido, com as restrições que foram impostas para evitar a transmissão do vírus, empregadores, empregados, desempregados, precisaram criar alternativas para sobreviver em meio à crise. E o comércio virtual foi uma alternativa proposta.

Agora, passada a gravidade da situação, essa foi uma alternativa que deu muito certo para muito empreendedor e que perdura, colhendo os louros de quem se propôs a investir, e conseguiu cativar clientela por meio da tela de um celular, por aplicativos de mensagens, pelas redes sociais, ou sites e páginas hospedadas na internet.

Em 2020, as vendas online cresceram 34,76% no Brasil. Em 2021, o crescimento ainda foi forte, em 28,45%.

A expectativa é que em 2022 e nos próximos anos, o crescimento fique em 20% ao ano, e que em 2025 o volume de vendas já chegue em até impressionantes R$465 bilhões de reais. É o que revela um estudo divulgado pela plataforma de descontos CupomValido.com.br, com dados da Statista sobre as vendas no e-commerce no Brasil.

O Maranhão segue essa tendência. As ferramentas digitais tiveram um crescimento exponencial durante os últimos anos e o e-commerce é cada vez mais comum na vida dos maranhenses.

Para quem escolhe comprar pela internet, prioriza detalhes como descontos específicos dos sites e a comodidade de fazer todo o processo sem sair de casa, a qualquer hora do dia, fator que encaixa perfeitamente com as pessoas que têm dificuldade de achar um tempo dentro da rotina para ir à alguma loja.

Um dos pontos cruciais para influenciar o forte crescimento das vendas online no Brasil foi a pandemia, pois com as lojas físicas fechadas, fez com que diversos brasileiros passassem a realizar sua primeira compra online.

Ao encontrar facilidade na compra, métodos de pagamento instantâneos (como o PIX), e entregas rápidas (diversas lojas com entregas em 1 dia útil), muitos deles se tornaram consumidores recorrentes.

Pandemia contribuiu para aumento das compras

O professor de Química, Joelson Costa, disse que por causa da pandemia, as pessoas se viram com necessidade de utilizar as ferramentas digitais para suprir o consumo, e que essa facilidade se manteve em todo o mundo, mesmo após o fim do período mais crítico do vírus.

“Para o consumidor, tem a facilidade, a comodidade de comprar em alguma loja que tenha confiabilidade. Acho que para o vendedor, se ele souber fidelizar o cliente, garantir a venda, direitinho, é um caminho bom e sem volta para ele”, opina.

A empreendedora Joyce Andrade mantem a venda virtual, mesmo após a pandemia. Com uma loja física de confecções na Avenida Jeronimo de Albuquerque, as vendas online surgiram nesse contexto, mas continuam em alta, mesmo com a loja física.

“Eu passei a vender por site, redes sociais e aplicativo de mensagens e as pessoas foram aparecendo. Ainda vendo assim, com a opção da pessoa ver o produto no site e fazer a retirada, ou receber por delivery. Dá um pouco mais de trabalho, mas o consumidor aprova”, disse.

Em 2021, o número de compradores online era de 114 milhões. Em 2022 a projeção é de 123 milhões. E em 2025, o número é de 138 milhões – um crescimento de mais de 12%.

Segundo ainda o levantamento, os vestuários são os produtos mais comprados online pelos brasileiros. Em segundo lugar ficam os eletrônicos, como TVs, smartphones e notebooks. Os calçados ficam na terceira posição. Em seguida, entre os mais vendidos, ficam os acessórios, produtos de farmácia e comida.

A maneira preferida dos brasileiros realizarem as compras online, é via Smartphone, seguido pelo Notebook e Computador (PC). O Tablet e Smart TV, ficam quarta e quinta posição, respectivamente.

Segundo a pesquisa, os 3 principais fatores que os brasileiros consideram como vantagens da comprar online, são: a entrega diretamente na residência, descontos melhores nos preços, e a grande variedade de produtos ofertados.

Em contrapartida, os 3 principais fatores negativos, são: a dificuldade em realizar troca, a demora no tempo de envio e não ter a possiblidade de contato prévio com o produto.

Fonte: oimparcial.com.br

Saiba mais

Comentários