Com 13 municípios em situação de emergência, Maranhão já tem 660 famílias desabrigadas e 1.663 desalojadas

Corpo de Bombeiros Militar do (CBMMA) anunciou o reforço no planejamento de atividades (Foto: Divulgação)

Com a intensificação do período chuvoso, algumas cidades maranhenses vêm enfrentando problemas por conta das fortes chuvas. Boletim emitido na manhã desta quarta-feira (3) aponta que 13 municípios já decretaram situação de emergência, totalizando 660 famílias desabrigadas e 1.663 desalojadas.

Os municípios em situação de emergência são Formosa da Serra Negra, São Roberto, São João do Sóter, Tuntum, Monção, Pindaré-Mirim, Conceição do Lago Açu, Lago da Pedra, Lagoa Grande do Maranhão, Carutapera, Governador Nunes Freire, Boa Vista do Gurupi e Trizidela do Vale.

Em Caxias, Codó e Coroatá foram observadas, nas últimas horas, chuvas muito fortes. O nível do rio Itapecuru também vem sendo monitorado, de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA). Na cidade de Colinas, a cheia do rio já atingiu algumas casas, e a previsão é que siga em elevação. Em Cantanhede e Itapecuru-Mirim, a tendência é de retração do nível das águas.

Na cidade de Pindaré Mirim, as chuvas levaram à alta do nível do rio Pindaré, que invadiu cerca de 60 residenciais. As famílias foram retiradas do local. E em Palmeirândia, as chuvas causaram vários pontos de alagamentos. Os municípios estão sob monitoramento da Defesa Civil.

Para reduzir e prevenir ocorrências, o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) anunciou o reforço no planejamento de atividades e as medidas preventivas e de resposta rápida à população afetada. Em cidades com registros de danos, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil presta o devido apoio, em ação conjunta com as coordenadorias municipais.

O trabalho da Defesa Civil inclui a retirada de pessoas das áreas de risco e distribuição de refeições, fornecidas pela rede de Restaurantes Populares do Governo do Estado.

O objetivo do planejamento é a prevenção de situações mais graves e a promoção das medidas necessárias para atender as comunidades, pontuou o comandante-geral do CBMMA, coronel Célio Roberto. “Neste enfrentamento, nosso objetivo principal é proteger a vida. Os bombeiros têm trabalhado incansavelmente para executar as ações de prevenção e resposta, garantindo socorro rápido e eficaz diante dos desafios que as chuvas podem trazer. A colaboração da população é fundamental nesse processo, seguindo as orientações de segurança e buscando apoio sempre que necessário”, enfatizou.

O planejamento da Defesa Civil reforçou o planejamento de ações, com foco na prevenção e assistência às comunidades afetadas. É feita a retirada preventiva de famílias de áreas de risco para resguardar vidas e reduzir os danos materiais, em casos de enchentes e deslizamentos. Além disso, a corporação frisou que tem intensificado as orientações sobre medidas preventivas que a população deve adotar, durante o período chuvoso, incluindo informações sobre como evitar acidentes domésticos e a importância de manter a vigilância em áreas propensas a alagamentos.

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.