Menu

Notícias

Ciro sugere a taxação de super ricos para ajudar o custeio de auxílios

O candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) detalhou nesta terça-feira (23), em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, sua proposta de pagar auxílio permanente de R$ 1 mil para famílias em situação de vulnerabilidade.

Segundo ele, a proposta é agregar vários benefícios sociais, além de criar um novo tributo para os aqueles com patrimônio superior a R$ 20 milhões.

“Para fechar os R$ 297 bilhões dos recursos que já existem, eu vou agregar um tributo sobre grandes fortunas, apenas e tão somente aos patrimônios superiores a R$ 20 milhões”, disse.

Para o candidato, se estes contribuírem com 0,05% da sua riqueza, cada uma deles financiará o benefício para 821 brasileiros em situação de pobreza.

“Entenda bem, só 58 mil brasileiros têm um patrimônio superior a R$ 20 milhões, o que quer dizer o seguinte: cada super-rico no Brasil vai ajudar a financiar, com R$ 0,50, apenas de cada R$ 100 de sua fortuna, a sobrevivência digna de 821 brasileiros abaixo da linha da pobreza. Aqueles domicílios que as pessoas ganham R$ 417 ou menos por cabeça por mês””, completou.

Veja também:

Gomes avalia que dessa forma estará criando uma espécie de novo modelo de previdência. O objetivo, explicou, é juntar o Benefício de Prestação Continuada (BPC), a aposentadoria rural, o seguro-desemprego e “todos os programas de transferência de renda”, incluído o Auxílio Brasil. Ciro diz que vai unir as políticas e “transformar num direito previdenciário constitucional”.

“Ou seja, ninguém mais vai depender de político ‘A’, político ‘B’, eleição ‘A’. Como está acontecendo ameaças e tentativas de manipular o sofrimento mais humilhado do nosso povo, das mães de família que estão vendo seus filhos dormirem hoje com fome. Isso me dói o tempo todo, essa é a minha história de vida. E essa consolidação dá R$ 290 bilhões”, afirmou o candidato.

Fonte: imirante.com

Saiba mais

Comentários