Após três dias, chega ao fim a greve dos rodoviários na Grande São Luís

Após três dias, a greve dos rodoviários chega ao fim nesta quinta-feira (08), na Grande São Luís. Assim, os ônibus voltam a circular normalmente a partir de 4h da madrugada desta sexta-feira (9).

O fim da paralisação chega após o Sindicato dos Rodoviários aceitar a proposta de reajuste salarial de 10% para os trabalhadores que fazem dupla função (motorista e cobrador) e 8% para os que exercem função única (motorista ou cobrador). Além disso, foi acertado que o valor do ticket alimentação subirá de R$ 700 para de R$800 e a classe trabalhadora terá a garantia da manutenção do pagamento do plano de saúde.

Com tudo acertado entre o Sindicato dos Rodoviários e o Sindicato das Empresas, o anúncio do fim da greve estava encaminhado. No entanto, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte de São Luís não aceitou a solicitação da SET quanto ao subsídio repassado pela prefeitura.

O Sindicato das Empresas solicitou um aumento de 65 centavos no subsídio e o prefeitura recuou. A SMTT solicitou ao SET uma planilha com os gastos que justificasse o aumento e, em contrapartida, o poder público propôs um aumento de 40 centavos.

Com a repercussão da recusa da prefeitura em aumentar o subsídio solicitado pelo Sindicato das Empresas, os usuários do transporte público temeram pelo o aumento da passagem de ônibus. Atualmente, os usuários pagam R$ 4,20 na tarifa de ônibus e com o impasse a passagem de ônibus poderia aumentar para R$ 6,47.

Após idas e vindas nas negociações, a prefeitura resolveu aceitar a proposta do Sindicato das Empresas e vai arcar com o aumento no subsídio e vai repassar os 65 centavos solicitados pela SET.

O Sindicato das Empresas deverá entregar em até 60 dias um balaço financeiro que comprove que o subsídio esteja sendo revertido para o benefícios dos trabalhadores e dos usuários.

A audiência foi realizada pelo Tribunal Regional do Trabalho. O vice -presidente do TRT, desembargador Carvalho Neto foi quem presidiu a audiência e relatou o processo. Estiveram presentes na negociação o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado do (STTREMA), o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), e a Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB).

Relembre

Esta é a quinta greve dos rodoviários apenas na gestão Eduardo Braide.

A greve geral da frota de transporte público começou ainda na manhã da terça-feira (6), após impasses da categoria com a classe patronal.

O Tribunal Regional do Trabalho chegou a determinar que 50% da frota de ônibus circulasse em São Luís, sob pena de multa de R$30.000 por descumprimento, além de responderem pelo crime desobediência (previsto no art. 330 do Código Penal). No entanto, a categoria não acatou a liminar e não tirou os carros das garagens.

No dia 23 de janeiro, os usuários do transporte coletivo de São Luís foram surpreendidos com a paralisação de 100% da frota de ônibus. Os rodoviários iniciaram a mobilização que durou 24h após a morte do motorista Francisco Vale durante assalto.

Em abril de 2023, a categoria protestou por pagamento salarial e a assinatura da convenção coletiva de trabalho de 2023. A manifestação deixou a cidade parada durante cinco dias.

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.