13ª Mostra Cinema e Direitos Humanos em São Luis

(Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – A primeira edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos aconteceu em 2006. Nessas últimas doze edições, muito aconteceu no Brasil e no mundo, mesmo diante desses desafios foram realizadas 12 edições da Mostra entre os anos de 2006 e 2018, até sua produção ser interrompida em 2020 devido à pandemia da Covid-19. Nestes 12 anos de existência a Mostra teve como tema questões importantes para o campo dos direitos humanos e, a partir da sua segunda edição, incluiu a Mostra Homenagem, que destacou personagens fundamentais para a história do audiovisual.

A Mostra Difusão é uma das atrações da 13ª Mostra Cinema e Direitos Humanos, levando a programação gratuita do evento a mais pessoas. De 27 de março a 17 de abril, os pontos de exibição apresentarão os 18 filmes que fazem parte da Mostra. No Maranhão, as exibições serão em Santa Rita, no Instituto Cresça de Desenvolvimento Socioambiental, e em São Luís, no ponto de cultura Re(o)cupa. Os filmes também estarão disponíveis online na plataforma InnSaei.tv.

Com o tema “Vencer o ódio, semear horizontes”, a 13ª Mostra é realizada pelo Ministério da Cultura (Minc) e o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), com produção do Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense (UFF) e produção local do Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGeo) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Os pontos exibidores foram selecionados através de edital do MinC.

Tendo representantes das cinco regiões do país, os filmes abordam os direitos de negros, mulheres, idosos, crianças, pessoas com deficiência, e comunidade LGBTQIAPN+, dentro das pautas da 13ª Mostra, que é dividida em quatro programas.

O programa “Raízes” exibe “Travessia” (2017, 5 min, livre), de Safira Moreira, “Filha Natural” (2018-19, 16 min, livre), de Aline Motta, “Nossa mãe era atriz” (2022, 26 min, 12 anos), de Renato Novais e André Novais Oliveira, “Mãri Hi – A Árvore do Sonho” (2023, 18 min, livre), de Morzaniel Ɨramari, “O que pode um corpo?” (2020, 14 min, livre), de Victor Di Marco e Márcio Picoli, e “A poeira dos pequenos segredos” (2012, 20 min, 14 anos), de Bertrand Lira.

Dedicado ao público infanto-juvenil, o programa “Frutos” apresenta “Um Filme de Verão” (2019, 95 min, 14 anos).

O programa “Sementes” traz “Ribeirinhos do Asfalto” (2011, 26 min, livre), de Jorane Castro, “Adão, Eva e o Fruto Proibido” (2021, 20 min, 14 anos), de R. B. Lima, “Nossos espíritos seguem chegando” (2021, 15 min, livre), de Kuaray Poty (Ariel Ortega) e Bruno Huyer, “Me farei ouvir” (2022, 30 min, 10 anos), de Bianca Novais e Flora Egécia, e “Escrevivência e Resistência: Maria Firmina dos Reis e Conceição Evaristo” (2021, 26 min, livre), de Renato Barbieri e Juliana Borges.

A sessão “Homenagem” tem dois filmes de Silvio Tendler, o cineasta homenageado nesta edição: “Nas Asas da Pan Am” (2020, 115 min, livre) e “A Bolsa ou a Vida” (2021, 102 min, 10 anos). A programação completa do evento está nas redes sociais e no site mostracinemaedireitoshumanos.mdh.gov.br.

Serviço:

13ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

Onde: Casarão Reocupa- Rua da estrela 400a, centro

Dias 27/03, 03/04, 10/04 e 17/04 ( sessões com legenda e libras)

Dias 28/03, 04/04, 11/04 e 18/04 ( sessões com audiodescrição)

Horário: Sempre às 20h

Contatos: Deuza Brabo (98) 98115-2863 e Kadu Vassoler (98) 98111-6111

source

Outras notícias

Saiba mais

Comentários

.